Return to site

Sobre ser latino e americano

A primeira semana nos Estados Unidos

· YLAI,Intercâmbio

Que semana! Só isso que posso dizer, que primeira semana!

Foi tanta coisa que aconteceu que separei por tópicos para facilitar o redemoinho que está passando em minha cabeça, de experiências, referências, conversas e reflexões.

A imigração

Já tinha passado por um processo de imigração quando fui a Europa em um mochilão ano passado, mas estava de férias, em um outro momento e já ouvi tantas histórias que fiquei muito apreensivo.

Quando cheguei na fila para checagem dos passaportes, só olhava ao lado todos os amigos sendo liberados com agilidade, enquanto que o mesmo não ocorria na fila que eu estava. Chegou minha vez, muita rigidez da agente, perguntou tudo e mais um pouco, o que era o programa, como era, quem estava patrocinando, e ficamos lá por uns 10 minutos nesse processo. O lado bom é que tinha levado tudo impresso e consegui responder todas as perguntas de forma satisfatória.

Sobre Detroit

Chegando em Detroit você tem uma sensação diferente, parece que já viu esse tipo de paisagem muitas vezes, parece que já conhece pelos filmes, séries e referências que sempre estão na sua vida, prédios enormes, moradores de rua do estilo de filmes, muitos carros, verde também nesse que foi o primeiro impacto.

Quando começam a chegar os jovens líderes de todos os países, você sente uma empatia estranha, parece que você conhece a realidade dele, vocês podem se ajudar, mas ainda não tiveram a chance de se conhecer.

Você passa a ter um contato direto, sem mídia a partir da história de outros jovens que assim como você também querem mudar a situação do país e descobre que na Nicarágua, apenas 20% das pessoas tem acesso à internet, e a situação com o governo é tão tensa que existem cursos que ensinam a criar dois perfis no Facebook para despistar a polícia.

Qual a chance que eu teria de falar com alguém da Guyana, e entender sobre o país, forma política, como está organizado, problemas, costumes e sua cultura. Ver as sutilezas que existem na cultura de cada país, no cuidado, no olhar que é dado, te faz mais latino, mais americano. Somos o mesmo país, mas em momentos diferentes.

YLAI Launch – a abertura do programa

Após dois dias de abertura posso dizer o quanto o evento foi organizado, mesclando entretenimento com conteúdo, sempre a piada programada, e na abertura tivemos um show da banda Darron and the 14th floor, que foi super legal e diferente para meu repertório.

Em termos de conteúdo tivemos palestra com o fundador da Shinola falando da importância das pessoas, Storytelling, venture capital, educação, comunicação, de tudo um pouco, mas o que me dava uma alegria danada era entender tudo que estava sendo falado, e conversar sobre a conferência foi demais.

Te dá uma visão maior de mundo, pois você não está conversando sobre um problema de Minas comparando com um de Goiás, é sobre Brasil, Haiti, Peru, Venezuela, Argentina, Belize, Bahamas, Suriname e muito mais. Te dá responsabilidade de representar o Brasil, além dos seus preconceitos, além da sua visão e ir além e pensar em como resolvemos problemas do mundo a partir dessa ampliação de visão.

Sobre o Empreendescola

Após 2 dias de muitas conversas e treinamentos percebi que o Empreendescola está em um nível mais avançado do que eu imaginava enquanto negócio social e foi legal compartilhar com todos como chegamos ao nosso modelo de negócio, números alcançados e histórias que ajudamos a construir. De uma forma bem mineira aos poucos vamos com consistência, passo a passo, sem pensar na mídia, mas sim no que estamos construindo no longo prazo.

Seattle - a chegada

Graças ao Gustavo Pugliese, que já havia morado em Seattle e conhecia meu mentor (O James), fui em um evento incrível da MESA praticamente direto do aeroporto. Foi um evento incrível onde foram reconhecidos os melhores do ano da instituição, conheci um modo diferente de fazer doações, foi possível ter contato com parte da equipe da College Success Foundation (lugar que trabalharei por 1 mês), mais diretamente o James e o Keith, todas pessoas muito queridas e felizes por eu ter chegado.

Tive também uma orientação geral com a Rachel, que é a coordenadora do programa aqui em Seattle sobre a cidade, o transporte público no geral, dicas de atrações e um pouco mais para nos ajudar como um todo.

A cidade aqui é muito bonita, com muito verde e é sede de grandes potências mundiais como Amazon, Microsoft e Boeing, que estão na minha lista para visitar :D

Desafios extras

  • Me tornar um pouco mais sociável nas redes sociais, postar fotos, fazer stories, pouco a pouco vou saindo do off-line
  • Meu prédio tem uma academia, e com isso tenho me exercitado todos os dias. Projeto verão me aguarde!
  • É estranho pensar que estarei 1 mês longe da família, junto com o pessoal, mas sozinho
  • Sobre o inglês estou bem feliz, pois não estou tendo nenhum problema para entender, mas quero aproveitar e melhorar meu vocabulário, a construção das frases e comecei a estudar pelo menos 1 hora por dia.

Daqui há 1 hora vou para meu primeiro dia de trabalho e estou muito animado, curioso e orgulho por estar aqui. Até semana que vem e fique com a foto do time Seattle, 14 países em uma foto.

Team Seattle - 14 países e um sonho
All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly